Africa Oil & Power conference
Fonte: Africa Oil & Power conference |

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) aplaude as reformas na Angola em visita ao marco

V. Ex.a Mohammad Sanusi Barkindo visitou a Luanda pela primeira vez como Secretário Geral da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP)

Parabenizamos os esforços heróicos do governo para reformar o setor

LUANDA, Angola, 19 de dezembro 2018/APO Group/ --

A liderança da Angola está a implementar mudanças fiscais e políticas cruciais para diversificar a economia, ao mesmo tempo que abre o setor petrolífero para novos investimentos; V. Ex.a Mohammad Sanusi Barkindo visitou a Luanda pela primeira vez como Secretário Geral da OPEP; Barkindo na Angola: “Reformas certas no momento certo”

Durante a sua primeira visita a Angola como chefe da OPEP, V. Ex.a Mohammad Sanusi Barkindo elogiou a liderança da Angola pelas suas fortes reformas no setor de petróleo e gás, as quais abrangem desde reformas tributárias até novas políticas de monetização de gás, durante uma visita de dois dias na Luanda que terminou hoje.

“Parabenizamos os esforços heróicos do governo para reformar o setor. Estas são as reformas certas no momento certo. Nós, da OPEP, aplaudimos essas reformas,” disse V. Ex.a Mohammad Sanusi Barkindo, Secretário Geral da Organização dos Países Exportadores de Petróleo.

V. Ex.a Presidente João Lourenço e sua administração, incluindo V. Ex.a Diamantino Azevedo, Ministro dos Recursos Minerais e Petróleo da Angola, implementaram uma série de reformas regulatórias corajosas destinadas a atrair novos investimentos e diversificar a economia dependente do petróleo, incluindo a reforma tributária, a criação da nova Agência Nacional de Petróleo para administrar concessões de petróleo e gás, colocando um novo foco no investimento posterior, a criação de um novo instituto para a regulação de derivados de petróleo e gás e implementando novas políticas para incentivar a utilização e monetização de gás.

A visita de Barkindo a Angola foi sua primeira no cargo de secretário geral da OPEP, ocorrendo logo depois que a Angola se juntou ao Fórum de Países Exportadores de Gás como um novo membro, à medida em que o país vem agressivamente buscando novos investimentos em sua indústria madura de petróleo e gás. A produção atual de petróleo na Angola é de 1,49 milhões de barris por dia.

Durante a visita, Barkindo enfatizou o papel da Angola como um dos 25 países que agora participam da Declaração de Cooperação entre membros da OPEP e não-memros da OPEP, para reduzir a produção de petróleo e manter a estabilidade do preço do petróleo, acrescentando que “essa estabilidade é boa tanto para produtores quanto para consumidores.”

As perspectivas de investimento da Angola melhoraram com o preço do petróleo em 2018, com novos projetos chegando a decisão final de investimento no país, como o projeto Zinia em águas profundas da Total. O governo também está executando uma nova estratégia para garantir a autossuficiência do suprimento de petróleo, investindo em novas e existentes refinarias de petróleo, incluindo as refinarias de Cabina e Luanda.

“Apesar dos esforços de nosso governo em diversificar nossa economia, o petróleo ainda desempenha uma função importante em nosso crescimento. Como tal, a estabilidade é muito importante para a nossa indústria”, disse Azevedo.

O Ministério de Recursos Minerais e Petróleo também organizou um seminário durante a visita da OPEP para educar os membros da indústria local sobre o papel global da OPEP.

“A história concluirá que a adesão da Angola à família OPEP foi ums precursora para os membros da nossa organização, aumentando e fortalecendo a voz africana nas nossas estruturas de tomada de decisão e nesta nova era de cooperação entre os países produtores de petróleo”, disse Barkindo.

Distribuído pela APO Group em nome de Africa Oil & Power conference.

Contacto:
Chief Content Officer
E: j.chester@africabranding.com
M: +27 (0)60 675 4850